ESTUDAR HARMONIA é o primeiro passo para quem quer amadurecer musicalmente.

Boa parte da nossa música ocidental foi e continua sendo construída com base no sistema harmônico tonal. Por isso fica impossível evoluir sem passar por este estudo.

Este vídeo é um trecho de uma live que fiz há um tempo onde surgiu este assunto: A importância do estudo da Harmonia.

Conhecer os processos harmônicos é fundamental para criar independência musical. Ouvir os acordes e conseguir entender o que está ocorrendo é realmente libertador. Sem falar ainda no processo criativo, seja para construção de arranjos ou para composição. Entender que os acordes que acompanham uma melodia, não são materiais rígidos e que estão ali por uma questão de escolha dentro de inúmeras possibilidades, abre uma porta para um mundo sonoro muito amplo.

No entanto, a teoria que explica os processos se mostram desafiadores para o estudante. Assimilar tudo e trazer o conhecimento para o plano do seu instrumento e transformar isso em prática pode ser uma barreira intransponível se encarada sozinha.

Sem dúvida o início dos estudos harmônicos é desafiador e muita gente pára neste ponto. Muitos, tentam estudar sozinho, comprando livros e assistindo vídeos, mas acabam desanimando, pois pode ser muito cansativo se não houver por trás um programa de estudo bem estruturado e um suporte onde o estudante possa esclarecer as dúvidas que são inevitáveis.

Publiquei este vídeo no Facebook e um dos meu alunos levantou essa questão. Achei interessante compartilhar:

Marco:“Estou assistindo o teu vídeo e lembrou-me uma afirmação do Pavarotti na sua biografia..”estudar formação musical por livro é a mesma coisa que fazer sexo por telefone..!!” bom, isso só faz sentido depois de pegarmos alguns livros e tentarmos aprender alguma coisa, o ciclo será sempre assim, lemos uma informação e desta informação surge uma data de questões…que não tem resposta por vários motivos… por exemplo o autor pode esperar que tu estejas num certo nível, ou que tenhas alguma informação básica… contudo se for numa aula, recebes informação, as questões surgem e tens a possibilidade de expor ao professor na hora, ou no dia seguinte ou mesmo enviando um e-mail para ele… pessoalmente penso que não tem nada que se compare com este tipo de informação de apoio.Outro dado importante e até interessante…. a mim, estes livros e a sua leitura, só me fizeram sentido após ter estudado harmonia com um professor, ia lendo e naturalmente ia percebendo e mesmo quando existia nova informação era muito mais fácil entender pois está na posse prévia de conhecimento. Não digo que será assim com todos pois existe muita gente inteligente neste mundo…mas comigo foi um pouco assim, hoje leio livros mas como complemento pois não dispenso o “professor” por nada deste mundo. Abraço. em breve cá estarei.”

Mateus:“Olha Marco, penso exatamente por este viés que é o mesmo que o seu. Isso coloca em xeque questões como o autodidatismo. De certa forma não aprendemos nada sozinho.

Estudar sozinho e somente pelos livros é muito complicado mesmo, pois muitas informações chegam e precisam de complementações que muitas vezes ainda não temos e não saberemos como alcança-las. Eu acho que o conhecimento musical, por depender de informação teórica, aplicação prática, e experiência (vivência), funciona como peças de quebra cabeças, vc encaixa uma, mas tem mais três lados para encaixar novas peças, e só depois de completar os quatro lado, a imagem começa então a ganhar sentido.”

Marco:“Sem dúvida, e este apoio nenhum livro te dá,só um professor que tenha passado por estes ciclos e…que continue sua jornada de aprendizado nos pode ajudar.Neste caso,tu és um exemplo perfeito a seguir,não só pelos alunos como também pelos teus colegas pois como bem dizes… aprender música não tem fim!”

 

Mateus:“Valeu Marco, estamos juntos nessa jornada meu amigo!! Um Grande Abraço!!”

Veja no face:

Se você curte o assunto, deixe seu comentário abaixo!

mateusbustamante

Ver todos os posts